sexta-feira, 10 de junho de 2011

A cada um a sua forma de se esconder...

Estava aqui a ver as "comemorações" do Dia de Portugal (entenda-se, o Baião aos berros no meio de uma praça enorme em Castelo Branco) e reparei que as nossas forças armadas presentes no local envergam três tipos diferentes de camuflado. E isto para já não falar numas tendas que por ali estão e que ainda ostentam um quarto padrão.

OK. É óbvio que tropa e camuflados são coisa que andam de mão dada mas... o que me faz espécie é que cada ramo das FA tenha um padrão diferente. É que isto implica logo custos acrescidos. Uma coisa é comprar-se umas dezenas de milhares de fardas para o Exército, Marinha e Força Aérea e outra coisa muito diferente é a FA ir sozinha comprar umas centenas de camuflados e, depois, a Marinha também fazer o mesmo noutra "loja". Na vida empresarial, isto chamar-se-ia má gestão. Nas FA, chama-se especificidades de cada ramo.

E - outra coisa -, para que raio é que a Força Aérea precisa de camuflados em tons de verde? Se fossem cinzentos e pretos eu até percebia (para se confundirem com o alcatrão das pistas); se fossem azuis, podia ser para se diluirem nas nuvens mas... verdes? Só se for para não serem vistos nos arbustos circundantes das bases aéreas (em caso de fuga).

Do ponto de vista prático, toda esta diversidade deixa-me um bocadinho confuso (mas eu sou apenas um palerma de um civil): os paraquedistas e os fuzileiros (já nem falo dos comandos) deviam "andar" todos nos mesmos sítios, não é? Se juntássemos três militares no mato, havia algum que se visse mais ou menos? Era igual? Então, porquê a diferença? Era diferente? Então, porquê a diferença (pergunto novamente). Se calhar, é apenas uma questão "fashion" e, consequentemente, de preço a pagar pelo Estado porque uns gostam de manchas largas e outros de riscas...

Ah... antes de acabar este texto, acabo de ver um oficial com outro camuflado. Este parece ser em tons areia. Ou é para irmos invadir a Ilha do Fogo ou deve ser para aquelas missões importantíssimas no nosso mui querido Afeganistão...

3 comentários:

  1. Pois... realmente uma boa pergunta. Não deve haver problema, pois para as FA, o dinheiro, deve aparecer de algum lado. Tanto é que o Presidente disse hoje, que investir no exército é um valor seguro... portanto que se lixem as pescas, o mar, a agricultura e a indústria! Só haverá um grande desastre se não for cumprido o programa da tróika... de resto está tudo bem. Qual crise, qual carapuça! Isso é para o povinho... e se os casos ficarem mal parados, é contra ele que as FA se imporão... lá está, de norte a sul, o nosso País tem uma paisagem muito diferente!

    ResponderEliminar
  2. Depois de ler este seu post, com alguma graça, fico na duvida sobre esta leviana aproximação aos militares e sua conduta.
    Queira Vexa Saber que sou militar à 30 anos e, pelo menos por isso, terei muito gosto em desfazer algumas duvidas que, salvo melhor opinião, transparecem no seu texto.
    PM

    ResponderEliminar
  3. Caro "paulo", não espere por ordem minha, dispare logo! Mas, poupe-me aos V.Exa.: qualquer coisa que tenha a dizer não parece mais certa por usar esses termos "deslocados".

    ResponderEliminar